Endividamento

A Companhia encerrou o 3T18 com uma dívida bruta1 de R$ 5.585,6 milhões, um total 18,6% maior em relação ao 3T17 que apresentou R$ 4.710,2 milhões. As disponibilidades somaram R$ 1.332,9 milhões no 3T18 ante R$ 1.065,7 milhões do mesmo período do ano anterior.

Vale destacar que a Companhia concluiu com êxito a sua 23ª emissão de Debêntures, com o valor de R$ 3.000 milhões de reais. Esta emissão faz parte da estratégia financeira de revisão de patamar e condições de seu endividamento a custos menores dado que alongou o prazo médio das dívidas e melhorou a qualidade de crédito da Enel Distribuição São Paulo.

Dessa forma, a dívida líquida da Companhia totalizou R$ 4.252,8 milhões no 3T18, um aumento de R$ 608,3 milhões em relação ao valor de R$ 3.644,5 milhões do 3T17. Esse aumento deve-se principalmente aos fatores abaixo:

(i) emissões de R$ 3.280,6 milhões2 no período de 12 meses, incluindo Debêntures e liberações do FINEM e FINEP com destaque no 3T18 para 23ª Emissão de debêntures no valor de R$ 3.000 milhões;

(ii) amortizações e pagamento de juros de debêntures, CCB, FINEM, FINEP e Conta Garantida, de R$ 2.307,8 milhões, no período de 12 meses, com destaque no 3T18 para as amortizações e pagamento de juros de R$ 1.884,9 milhões referentes ao resgate antecipado de debêntures (13ª, 18ª, 19ª, 20ª e 21ª Emissões), nota promissória (3ª Nota Promissória) e CCB;

(iii) redução do saldo das despesas com fundo de pensão em R$ 90,7 milhões;

(iv) aumento de R$ 267,2 milhões no saldo de caixa impactado principalmente pelo adiantamento para futuro aumento de capital de R$ 600,0 milhões.

 

Dívida - R$ milhões 3T18 3T17 Var (%)
Empréstimos, Financiamentos e Debêntures 4.411,4 3.445,3 28,0%
Fundo de Pensão 1.174,2 1.264,8 -7,2%
(-) Disponibilidades* -1.332,8 -1.065,7 25,1%
Dívida Líquida 4.252,7 3.644,5 16,7%
EBITDA (12 meses) 1.147,8 1.025,3 11,9%
Despesa com FUNCESP (12 meses) 114.228 392.336 -70,9%
EBITDA Ajustado (12 meses) 1.262,0 1.417,6 -11,0%
Despesas financeiras sobre empréstimos -456.921 -533.964 -14,4%
Dívida Líquida/ebitDa AJUSTADO 3,37 2,57 31,1%
Dívida Líquida/EBITDA Ajustado (23ª EmisSÃO)** 2,73 - -
EBITDA Ajustado/Despesa financeira 2,76 2,65 4,0%
*Caixa, equivalentes de caixa e investimentos de curto prazo
**Conceito de Dívida líquida e EBITDA ajustados conforme novos termos negociados na 23ª Emissão para padronização com demais emissões do grupo Enel

1Dívida Bruta corresponde ao somatório dos empréstimos, financiamentos, leasing financeiro e debêntures de curto e longo prazo, além do saldo devedor com o fundo de pensão de R$ 1.174,2 milhões (não considerando o efeito líquido de ganhos/perdas atuariais no montante de R$ 2.458,9 milhões).
2O valor amortizado não considera os resgates antecipados do CCB Safra, da 4ª Emissão de Notas Promissórias e da 22ª Emissão de Debêntures que foram emitidas entre o 3T17 e o 3T18.

 

*Prazo médio considera principal; custo médio considera principal e juros. Ambos consideram a dívida com a Fundação CESP (excluindo corredor).


No 3T18, a dívida da Enel Distribuição São Paulo atrelada ao CDI3 foi de R$ 3.787,5 milhões, maior do que o registrado no 3T17 de R$ 3.029,6 milhões. No 3T18 o custo médio registrado foi de CDI + 1,14 % a.a. em comparação a CDI + 2,09 % a.a. do mesmo período do ano anterior, em função, principalmente, das novas emissões e pagamentos de dívidas ocorridas no período, conforme descritas acima.

O saldo da dívida atrelada aos demais índice4 no 3T18, é de R$ 1.713,3 milhões ante R$ 1.585,3 milhões registrados no 3T17.

O prazo médio da dívida no 3T18 é de 4,0 anos, patamar superior ao prazo de 3,3 anos do 3T17, também explicado pelo resgate antecipado de dívidas com prazo menor e pela emissão da 23ª Emissão de Debêntures com prazo mais longo. Desconsiderando a dívida associada ao Fundo de Pensão, o prazo médio da dívida no 3T18 é de 3,7 anos, patamar superior ao prazo de 2,4 anos do 3T17.

A seguir, é mostrada a segregação da dívida bruta da Companhia por indexador e cronograma de amortização:

3Dívida atrelada ao CDI compreende somatório de principal, encargos e custos a amortizar das debêntures, notas promissórias e cédulas de crédito bancário (CCB).
4A dívida atrelada aos demais índices compreende o somatório do FINEM, FINEP e fundo de pensão (excluindo corredor).


* Referente a Empréstimos, Financiamentos e Debêntures e Custos a Amortizar.


** Fluxo composto por amortização de principal, juros acumulados e custos a amortizar. Não considera arrendamento financeiro.


Escala de rating da Companhia

Últimas atualizações: Fitch - Jul/2018; S&P - Set/2018; Moody's - Set/2018; 1 - Moeda Local; 2 - Moeda Estrangeira

 

Cláusulas Restritivas ("Covenants")

Para efeito de cálculo dos covenants da Companhia, considera-se o saldo devedor com o fundo de pensão de R$ 1.174,2 milhões em 30 de setembro de 2018 (não considerando o efeito de perdas atuariais líquidas do plano de pensão, registradas em “outros resultados abrangentes” no montante de R$ 2.458,9 milhões).

Considerando o EBITDA aplicável a 11ª, 14ª e 15ª Emissões de Debêntures, FINEMs e CCB ABC conforme previsto nos covenants5 dos últimos 12 meses findos em 30 de setembro de 2018, a Enel Distribuição São Paulo apresentou indicadores Dívida Líquida/EBITDA Ajustado de 3,37x, e EBITDA Ajustado/Despesa Financeira de 2,76x.

Na 23ª emissão de debêntures foi negociada uma cláusula de covenants diferente da condição até então utilizada. O objetivo da alteração foi padronizar os termos do índice financeiro às condições utilizadas pelo Grupo Enel. Em paralelo, a Companhia está trabalhando para padronizar a redação das outras emissões de forma que seja mantido apenas um índice financeiro.

Para o cenário da 23ª Emissão, considerando o EBITDA conforme previsto nos covenants6 dos últimos 12 meses findos em 30 de setembro de 2018, a Eletropaulo apresentou indicadores Dívida Líquida/EBITDA Ajustado de 2,73x.

Os limites dos covenants válido para todas as dívidas da Companhia são:

I. Dívida Líquida/EBITDA Ajustado não pode ser superior a 3,5x e

II. EBITDA Ajustado/Despesa Financeira não pode ser inferior a 1,75x 7.

Desta forma no 3T18, a Companhia estava dentro dos limites estabelecidos nos contratos de dívida.

5O EBITDA ajustado corresponde ao somatório dos últimos doze meses do resultado operacional conforme demonstrativo contábil consolidado na linha “Resultado Operacional” (excluindo as receitas e despesas financeiras), todos os montantes de depreciação e amortização e todos os montantes relativos com entidade de Previdência Privada classificado na conta de “custo de operação”.
6EBITDA ajustado corresponde ao somatório dos últimos 12 meses do resultado operacional conforme apresentado no demonstrativo contábil na linha “Resultado Operacional” (excluindo as receitas e despesas financeiras), todos os montantes de depreciação e amortização, todos os montantes relativos a despesas com entidade de previdência privada classificado na conta de “custo de operação”, os ajustes dos ativos e passivos regulatórios (positivos e negativos no resultado) conforme as regras regulatórias determinadas pela ANEEL, desde que não incluídos no resultado operacional acima, atualização do ativo financeiro da concessão (positivos e negativos no resultado), desde que não incluídos no resultado operacional acima, provisão para contingências, provisão para créditos de liquidação duvidosa e baixas de títulos incobráveis.
7Não se aplica para 23ª Emissão.

Escrituração e aditamentos de Debêntures

© Enel Copyright 2018 - Todos os direitos reservados